Civil faz operação para prender grupo que assalta comércios de Porto Velho e já causou prejuízo de R$ 500 mil

Ao todo, 10 medidas cautelares foram autorizadas pela Justiça estadual contra os investigados, sendo seis de prisão preventiva e quatro de busca e apreensão.

A Polícia Civil deflagrou a operação Janus, nesta quinta-feira (21), para prender um grupo suspeito de assaltar comércios em Porto Velho. Ao todo, 10 medidas cautelares foram autorizadas pela Justiça estadual contra os investigados, sendo seis de prisão preventiva e quatro de busca e apreensão.

Segundo investigação, a organização criminosa especializada em praticar roubos e furtos a estabelecimentos comerciais causou um prejuízo de ao menos R$ 500 mil nos últimos quatro meses para empresários.

A operação é conduzida pela Delegacia Especializada em Repressão a Extorsões, Roubos e Furtos (DERF) e apoio da DEFRAUDE, DRFVA e CORE.

A quadrilha era chefiada por um homem chamado Josevan, conhecido popularmente como “Neguinho Taxista”. Os bandidos do grupo chegavam a cometer até dois roubos seguidos no mesmo dia em empresas.

O delegado Vinicius Lucena, responsável pela investigação , disse existir a possibilidade dos suspeitos terem praticados mais roubos que ainda não foram identificados pela polícia.

O delegado pede que, caso as vítimas que reconheçam os suspeitos em outras infrações, devem procurar imediatamente a Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio (DERF) na capital.

Janus

O nome da operação se deve porque na mitologia romana, Janus (ou Jano) é a divindade bifronte que mantém uma de suas faces sempre voltada para frente, o por vir, e a outra, para trás, em apreciação ao que já se passou. É o Deus da transformação e por ter duas faces confundia as pessoas.

 

Por G1/RO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *