AASSPEN participa de debate com autoridades sobre o sistema socioeducativo de Rondônia

Foi realizado nesta quinta-feira (27) às 15:00 hs, na EMERON (escola de magistratura do estado de Rondônia), um debate com os servidores do sistema socioeducativo de Rondônia.

Estiveram presentes no debate; O Juiz da infância e juventude Marcelo Tramontini, promotor de justiça da infância e juventude: Éverson Antônio Pini, Chefe casa civil: Emerson Castro, corregedoria geral da SEJUS, secretária adjunta da SEJUS: Cirlene bastos, Coordenadoria de atendimento ao adolescente em conflito com a lei, presidente da associação dos agentes penitenciários e sócio educadores e servidores penitenciários: Dahiane Gomes, diretores das unidades socioeducativas e representantes de cada plantão das unidades.

O objetivo desse debate, foi o diálogo entre autoridades e servidores, no segmento do sistema socioeducativo, cobrar dos responsáveis e dizer que não está funcionando o sistema socioeducativo, são vários relatos e provas que mostram que o caos tomou conta das unidades de internação, o Estado perdeu o controle da situação, nos últimos meses foram várias fugas, motins, mortes e violência contra os servidores.

A presidente da associação Dahiane Gomes, criticou sobre a segurança das unidades, pois a cada dia se encontra mais precário, cobrou a contratação dos novos socieducadores, são em média de 150 candidatos que aguardam para fazer academia.

A presidente destacou também, que esses servidores ficam a mercê dos menores infratores, não tendo nenhum tipo de armamento para defesa deles e impedirem fugas e motins, disse que vários servidores fizeram o curso de arma de choque (SPARk), mas até hoje não usam nas unidades, ela enfatiza que o uso dessas armas poderiam evitar muitos casos graves, devido os internos possuírem armas brancas como; facas, chuchus (armas artesanais) e pedaços de madeira.

Citou como exemplo uma revista recentemente realizada em uma unidade socioeducativa, onde foram encontradas armas brancas, mostrando o grande risco que esses servidores correm no dia a dia.

O Juiz da infância e juventude, Marcelo Tramontini, cobrou constantemente um procedimento de investigação para as Unidades Socioeducativas I e II de porto velho, disse que o sistema socioeducativo não está funcionando.

(Armas branca encontrada em uma unidade socioeducativa)

Fonte: rondoniaemqap





Publicidade


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.