MPDFT vai ouvir ex-comandante-geral da PM vacinado antes de praças

O Ministério Público, por meio da 2ª Prosus, abriu procedimento para apurar a vacinação de oficiais. Outros dois PMs foram notificados.

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) vai ouvir o ex-comandante-geral da Polícia Militar do DF (PMDF) coronel Julian Rocha Pontes, o ex-subcomandante-geral coronel Cláudio Fernando Condi e o subcomandante operacional do 2º Comando de Policiamento Regional, tenente-coronel Eduardo Condi, no âmbito da investigação sobre oficiais da corporação que receberam, antes de policiais que estão na linha de frente, a vacinação contra Covid-19.

A coluna Grande Angular apurou que o MPDFT, por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde (Prosus), expediu, na semana passada, notificação para que os três oficiais prestem informações a respeito da imunização deles, revelada pelo Metrópoles no último dia 2 de abril. O promotor de Justiça Clayton Germano é o responsável pelo procedimento.

Julian Rocha Pontes e Cláudio Fernando Condi foram exonerados dos cargos após a revelação de que foram vacinados antes que 8 mil praças pudessem ser imunizados. Duas semanas após deixar o alto comando da PMDF, Pontes foi transferido para a reserva remunerada da corporação.

A aposentadoria, a pedido, foi publicada no Diário Oficial do DF (DODF), nesta quarta-feira (14/4), e assinada pelo atual comandante-geral da corporação, coronel Márcio Vasconcelos.

 

Por Coluna grande angular

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *