Governo diz que envia PCCS da Polícia civil até terça-feira 

Os servidores da Polícia Civil de Rondônia venceram o primeiro round da guerra travada contra o governo do Estado, pelo envio do projeto de Lei que cria o Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCS) da categoria: o governo não conseguiu aprovar o Orçamento Geral para 2017. Os servidores conseguiram apoio de parte dos deputados, com destaque para o presidente da Casa, Maurão de Carvalho, e Hermínio Coelho.
Cerca de 100 servidores divididos em dois grupos de 50 vão manter a ocupação e redobrar a vigilância. A estratégia é evitar mais uma “rasteira” do governo que poderá, na calada da noite, enviar a proposta orçamentária sem o PCCS dos servidores da Polícia Civil.

O deputado Hermínio Coelho bateu pesado na estratégia do governo de tentar empurrar para 2017 a discussão do plano de uma categoria sofrida como os policiais civis. De acordo com Hermínio, todos na Casa Civil do governo estão se divertindo com o sofrimento dos servidores. Ele alertou que o pacote de maldades de Confúcio Moura vai muito além de sonegar o direito dos servidores da Polícia Civil de terem seu plano aprovado.

Hermínio adiantou que o governo deve encaminhar através de convocação extraordinária, que desta forma evita pedido de vistas, pacotes congelando salários dos servidores por vários anos, aumentando o percentual de contribuição dos servidores para o Iperon, rios anos, aumentando o percentual de contribuição civis pelo Estado, pelo envio do projeto de aumento a idade mínima para aposentadoria, incluindo até as carreiras que possuem a aposentadoria especial, como policiais e professores. “Nem a PM vai ficar livre do pacote de maldades que será adotado por Confúcio”, diz o deputado.

Segundo Hermínio, os “ajustes para o mal” que o governo fará, servirá para se adequar à PEC dos gastos públicos. Há um acordo com o governo federal. Os governadores “lascam” os servidores, cortam investimentos, e o governo Michel Temer, abre as torneiras para liberar recursos.
Após o cancelamento da sessão extraordinária desta quinta-feira (15), os servidores decidiram manter a ocupação da Assembleia Legislativa até que o projeto do PCCS da categoria seja enviado pelo governo e colocado em votação pelos deputados.

O presidente do Sindicatos dos Servidores da Polícia Civil de Rondônia (Sinsepol), Rodrigo Marinho, trabalha com a expectativa de que o envio aconteça até a próxima terça-feira (20), data em que o Estado entra em recesso, sendo mantidos apenas os serviços essenciais.

“A categoria decidiu permanecer aqui, há um compromisso do governo de enviar um projeto até terça-feira (20), mas até lá nós vamos esperar aqui, ocupando a Assembleia, até porque não temos propostas físicas, foram propostas verbais no sentido de incorporação de algumas verbas nossas. Então, vamos esperar e receber oficialmente para poder discutir com a categoria, disse Rodrigo Marinho.”

Fonte: acriticanews

Editado por: RondoniaemQAP

Publicidade

Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *