Vigilantes poderão exercer serviços em muralhas e guaritas de presídios 

O Plenário da Câmara dos Deputados rejeitou o destaque do PRB ao Projeto de Lei 4238/12, do Senado, e manteve no texto a atribuição das empresas de segurança privada de exercer o serviço de segurança perimetral nas muralhas e guaritas de estabelecimentos prisionais de gestão privada. Com o fim da análise dos destaques, a matéria retornará ao Senado devido às mudanças.

Os deputados já aprovaram emenda substitutiva do deputado Wellington Roberto (PR-PB) ao projeto, que regulamenta a atuação das empresas de segurança privada e de transporte de valores e disciplina detalhes da segurança em bancos.

Conhecido como Estatuto da Segurança Privada, o projeto estabelece normas que deverão ser seguidas por essas empresas, remetendo à Polícia Federal a atribuição de autorizar seu funcionamento e de controlar e fiscalizar a atuação delas com a cobrança de taxas.

Fonte: agência camara notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *