Operação “Status praesens” reforça segurança em unidade prisional de Ariquemes

O Centro de Ressocialização de Ariquemes, que possui 404 internos em cumprimento de pena no regime fechado, teve todos os pavilhões ocupados e revistados.

Para reforçar as ações do governo de Rondônia, que mantém a segurança nas unidades prisionais do estado, foi realizada nas primeiras horas da terça-feira (18), a operação “Status praesens”, no Centro de Ressocialização de Ariquemes (CRA), com revista minuciosa para apreensão de possíveis ilícitos dentro da unidade, e desarticulação de organizações criminosas.

Com atuação da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), a operação contou com policiais penais do Grupo de Ações Penitenciárias Especiais (Gape), Gerência de Inteligência Penitenciária (GIP), e do efetivo de policiais penais da unidade. O Centro de Ressocialização de Ariquemes, que possui 404 internos em cumprimento de pena no regime fechado, teve todos os pavilhões ocupados e revistados.

Para o governador de Rondônia, Marcos Rocha, as operações, tanto nas ruas quanto dentro das unidades prisionais são vias de regra para as forças de segurança, pois  por meio destas ações, promovem a manutenção da segurança no estado.

Segundo o diretor regional, Valdomiro Silvino, o nome “Status praesens” é oriundo do latim que significa “Estado presente”, e vem fortalecer a atual linha de atuação das forças de segurança de Rondônia, que através de operações e ações cotidianas se fazem presentes no combate ao crime, de forma preventiva e corretiva.

De acordo com o secretário da Sejus, Marcus Rito, as operações são planejadas com o intuito de garantir a segurança no sistema prisional. “Assim como realizamos operações nas ruas, efetivamos também, nas unidades prisionais, pois, acreditamos que dessa forma, cessam possíveis comunicações entre organizações criminosas e aconteça a redução quanto às chances de ilícitos em mãos de apenados, deixando evidente, a presença do estado no combate ao crime”, explicou.

 

 

Por Secom – Governo de Rondônia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *