Ex-desembargador reafirma pedido de prisão de Moraes

“Eu era corregedor do Tribunal Eleitoral do Distrito Federal e anunciei que me aposentaria, pois não iria cumprir as determinações de Moraes”

Durante a Comissão de Transparência, Fiscalização e Controle do Senado, o ex-desembargador federal Sebastião Coelho reafirmou que o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), deve ser “preso”. Em 20 de novembro, Coelho falou que a “solução era prender” o magistrado.

“Na semana passada, participei de um evento e pedi a prisão do Moraes”, disse Coelho, nesta quarta-feira, 30. “Não tenho redes sociais, mas minha filha me disse que alguém poderia me dar três dias para me retratar em público. Estou aqui reafirmando o que eu disse, em vez de me retratar.”

O ex-desembargador ainda propôs ao Senado que se reúna com os 11 ministros do STF para pedir o encerramento do inquérito das “fake news” e dos “atos antidemocráticos”. “Isso tem de ser entregue ao Ministério Público”, declarou. “Mas o Senado precisa fazer essa proposta.”

É possível que os ministros não aceitem a proposta dos senadores, segundo Coelho. “É consenso nacional que o senhor Alexandre de Moraes já praticou muitos crimes”, afirmou. “Ele exerce a função de promotor de Justiça, de procurador da República, de juiz de Direito ou de delegado de polícia. Isso é usurpação de função pública.”

Em 19 de agosto, Coelho anunciou sua aposentadoria depois de manifestar insatisfação com o STF. “Eu era corregedor do Tribunal Eleitoral do Distrito Federal e anunciei que me aposentaria, pois não iria cumprir as determinações de Moraes”, explicou. “Ele fez uma declaração de guerra contra o Brasil. Ele venceu algumas lutas, mas não terá a vitória final, que será do povo brasileiro.”

 

 

Por Revista Oeste

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *