Senadores comentam captura e morte de Lázaro Barbosa em Goiás

Os senadores de Goiás foram unânimes em elogiar as forças policiais envolvidas no caso Lázaro.

Após 20 dias de uma megaoperação envolvendo 270 policiais, o criminoso Lázaro Barbosa foi localizado e capturado em Águas Lindas (GO), nesta segunda-feira (28). Ele foi morto na troca de tiros com os agentes de segurança pública. Transportado ainda com vida numa viatura do Corpo de Bombeiros a um hospital da região, acabou não resistindo aos ferimentos, informaram os policiais.

A caçada ao bandido começou em 9 de junho, quando ele assassinou quatro pessoas de uma mesma família em Ceilândia (DF). Alguns dias depois, também foi acusado de matar o caseiro de uma propriedade no distrito de Girassol (GO). Dono de extensa ficha criminal desde 2007, incluindo assassinatos e estupros, Lázaro fugiu três vezes da cadeia nos últimos 14 anos.

Forças policiais
Os senadores de Goiás foram unânimes em elogiar as forças policiais envolvidas no caso Lázaro. No Twitter, Vanderlan Cardoso (PSD-GO) destacou que a prisão do bandido foi primeiro comunicada pelo governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM). O parlamentar repetiu frase de Caiado, que disse que o estado “não é disneylândia pra bandido”:

“Parabéns às forças policiais de Goiás, ao governador Ronaldo Caiado e ao secretário Rodney Miranda [da Segurança Pública] pela captura do serial killer. Nossas polícias são dedicadas e merecem todo nosso respeito! Como eu disse, era questão de tempo até que nossa polícia, a mais preparada do país, capturasse o assassino. Parabéns, vocês são motivo de muito orgulho para nossa gente! Goiás não é’ disneylândia’ de bandido”, escreveu o senador.

Jorge Kajuru (Podemos-GO) também elogiou as polícias goianas e não escondeu o alívio com a morte de Lázaro. “O grande momento do dia, polícia goiana colocando o assassino na viatura! Pro inferno, Lázaro morto!!! A polícia de Goiás sempre mereceu meu respeito!”, tuitou Kajuru, entre diversos vídeos que mostravam a captura e transporte do foragido.

Luiz do Carmo (DEM-GO) foi outro que fez questão de parabenizar os agentes da segurança e o governo de seu estado: “Nesta manhã, recebi a notícia de que o foragido Lázaro foi capturado pelas forças de segurança de Goiás. Parabéns ao governador Ronaldo Caiado e a todos os policiais envolvidos nesta operação. A população goiana agradece!”.

Já Izalci Lucas (PSDB-DF) incluiu também os agentes da segurança pública do Distrito Federal envolvidos na megaoperação. O senador disse que a população do DF se sente aliviada pelo que ele considera um bom trabalho das polícias que estiveram envolvidas no caso. Izalci criticou uma declaração recente do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), sobre a forma como a operação estaria sendo conduzida antes da captura do bandido:

“Ao contrário do que Ibaneis declarou sobre as forças policiais, elas têm todo o meu respeito e mostraram dedicação, eficiência e competência de sempre neste episódio. Parabenizo as polícias do DF e de GO por colocarem fim a um drama que aterrorizava a região. Lamento a perda de vidas e o sofrimento de todas as vítimas”, afirmou.

Progressão de pena
Senadores de outros estados também comentaram o final da caçada ao foragido. Styvenson Valentim (Podemos-RN), que foi policial militar antes de entrar para a política, aproveitou para criticar os “saidões” e regimes de progressão de pena, dos quais Lázaro se beneficiou em suas idas e vindas de cadeias: “Demorou, mas valeu. Agora não tem mais ‘saidinha’ de Natal, Dia das Mães e outras datas. Para onde ele foi, não tem progressão de pena”.

Marcos do Val (Podemos-ES), que também tem atuação na área da segurança pública, foi outro que comentou a morte de Lázaro: “Era questão de tempo até que a polícia capturasse Lázaro Barbosa. Parabéns para nossas forças de segurança de Goiás. O assassino não resistiu aos ferimentos e morreu a caminho do hospital”.

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), que é delegado de polícia, ressaltou que o ideal é prender os criminosos e levá-los à Justiça, mas que isso nem sempre é possível com indivíduos violentos. Ele parabenizou os policiais pela atuação.

“Bom lembrar que a polícia fez essa prisão em mais de uma ocasião, mas o sistema falhou. Precisamos de leis mais duras”, defendeu Alessandro.

 

 

Por agência senado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *