Ministro Anderson Torres defende o trabalho integrado das polícias para combater o crime organizado

Ações dos profissionais de segurança pública nos últimos 12 meses foram apresentadas nesta terça-feira, na abertura da 23ª Semana Nacional de Políticas Sobre Drogas.

Os resultados do trabalho de repressão e combate às drogas e descapitalização de criminosos feito pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública nos últimos 12 meses foram apresentados, nesta terça-feira (22), durante a 23ª Semana Nacional de Políticas Sobre Drogas.

“A gente acredita que não há outro caminho para repressão ao crime no país que não sejam as polícias trabalharem integradas, cada uma respeitando a sua atribuição, mas extremamente integradas nas áreas de inteligência, nas áreas de operação, para que as coisas realmente aconteçam e funcionem em nosso país. Precisamos jogar duro”, disse o ministro Anderson Torres, destacando o trabalho integrado das forças federais e estaduais no combate ao crime.

Também estiveram presentes na cerimônia o secretário de Operações Integradas, Alfredo Carrijo; o diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Gustavo Maiurino; o diretor-geral substituto da Polícia Rodoviária Federal, Jean Coelho; e o secretário Nacional de Políticas sobre Drogas, Luiz Roberto Beggiora.

Durante a cerimônia, também foi assinada portaria interministerial, entre os Ministérios da Justiça e Segurança Pública e da Economia, que destrava a venda de imóveis apreendidos de organizações criminosas.

Ministro Anderson Torres defende o trabalho integrado das polícias para combater o crime organizado2.jpeg

“Com essa portaria temos a expectativa de que, a curto ou médio prazos, arrecadar mais de R$ 200 milhões. É um marco na administração pública, que vai possibilitar agilidade na venda desses bens”, afirmou o secretário Nacional de Política sobre Drogas, Luiz Roberto Beggiora.

Entre as ações da 23ª Semana Nacional de Política Sobre Drogas também estão operação com cães, incineração de drogas e eventos para a discussão do tema.

Resultados

No trabalho de combate ao tráfico de drogas, a Polícia Federal (PF) deflagrou, de junho de 2020 ao mesmo mês deste ano, 1.741 operações, com mais de dois mil mandados de busca e apreensão cumpridos e cerca de R$ 1,3 bilhões recuperados.

Ministro Anderson Torres defende o trabalho integrado das polícias para combater o crime organizado3.jpeg

“A efetiva aplicação da diretriz de descapitalização do crime organizado, somada à prisão de lideranças e à cooperação internacional, permitiu maior impacto nas operações policiais, trazendo verdadeiro prejuízo à criminalidade”, ressaltou o diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Gustavo Maiurino.

No mesmo período, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) recuperou R$ 49 milhões do tráfico de drogas. Mais de 4.600 pessoas foram presas, foram apreendidas cerca de 630 toneladas de maconha, 31 toneladas de cocaína, mais de 150 comprimidos de anfetaminas e 30 mil de ecstasy, além de 3.500 veículos apreendidos e mais de duas mil operações realizadas.

Ministro Anderson Torres defende o trabalho integrado das polícias para combater o crime organizado4.jpeg

“Trabalhamos com capacitação dos nossos agentes, inteligência em análise de informação, investimento em tecnologia e integração.”, frisou o diretor-geral substituto da Polícia Rodoviária Federal, Jean Coelho.

A Secretaria de Operações Integradas (Seopi), por meio do Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras e Divisas (VIGIA), nos últimos 12 meses, causou um prejuízo de cerca de R$ 2,3 bilhões, com a apreensão de 673 toneladas de drogas. Houve um aumento de 111% com relação a apreensão de entorpecentes ao mesmo período do ano anterior.

Ministro Anderson Torres defende o trabalho integrado das polícias para combater o crime organizado5.jpeg

“Precisamos atuar de forma integrada. Nunca perder a iniciativa, ajustar um discurso único no âmbito do Ministério e, acima de tudo, atuar de forma incansável para propiciar um ambiente de cooperação entre agências, que otimizem os nossos resultados nessa luta”, completou o secretário de Operações Integradas do MJSP, Alfredo Carrijo.

Outro importante número apresentado durante o evento foi a arrecadação de bens apreendidos do tráfico. Aproximadamente 190 leilões foram realizados no país pela Secretaria Nacional de Política sobre Drogas (Senad), com arrecadação de R$ 314 milhões com a venda dos bens. Os recursos são investidos em pesquisas, projetos, compra de equipamentos, capacitação e formação de agentes de segurança pública.

Ações

Começou ontem e segue até sábado (26) uma operação com cães em cinco estados (Acre, Bahia, Goiás, Santa Catarina e Paraná) e no Distrito Federal, fruto da Operação Hórus, do Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras e Divisas (VIGIA).

A ação faz parte da 23ª Semana Nacional de Políticas sobre Drogas e é coordenada pela Secretaria de Operações Integradas. Participam polícias municipais, estaduais e federais, além da Receita Federal.

A Seopi também coordena, desde o início do mês, a Operação Narco Brasil, realizada nos estados e no Distrito Federal. As drogas apreendidas serão incineradas nesta quinta-feira (24), junto com outros entorpecentes apreendidos no país. A incineração acontece no Rio de Janeiro.

É Lei

A Semana Nacional de Políticas sobre Drogas foi instituída por meio pela Lei 13.840, de 05 de junho de 2019, a qual incluiu o art. 19-A, na Lei 11.343/06. De acordo com o ato normativo, o Governo Federal, por meio da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), promoverá ações voltadas à redução da oferta de drogas no país.

A semana foi escolhida por fazer alusão ao Dia Internacional de Combate às Drogas e Entorpecentes, celebrado em 26 de junho.

 

 

Por Ministério da Justiça e Segurança Pública

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *