SEJUS/RO cancela Operação da Polícia Penal onde assassino de tatuador seria preso antes do crime

Imagem de Operações anteriores da Policia Penal em conjunto com as demais forças de segurança, na recaptura de foragidos e apenados que não cumprem as medidas impostas 

Conforme Ocorrências Oficiais enviadas a nossa redação, dão conta que o assassinato do então tatuador de 26 anos, que foi morto com 09 tiros no dia 16 de Abril de 2021 no bairro Monte Sinai, Zona Sul de Porto Velho, poderia ter sido evitada pela Polícia Penal de Rondônia, pelas equipes da Unidade de Monitoramento – UMESP e o Grupo de Ações Penitenciárias Especiais – GAPE.

Conforme as informações, seria realizada a 6º Operação conjunta SEJUS – UMESP – GAPE – PM, onde seriam recolhidos apenados do regime semiaberto que estariam em descumprimento com a Portaria 002/VEP/2015.

Ainda conforme o documento, foram feitos levantamentos pela Unidade de Monitoramento durante os dias 06 de março a 06 de abril de 2021, após isso, foram identificados dezenas de apenados do regime semiaberto que estariam descumprindo a portaria 002/VEP/2015, entre eles o apenado Eduardo, apontado pela Polícia como assassino do tatuador Andeilson Barbosa.

Para o azar do tatuador e alegria do assassino, a operação foi cancelada por ordem do Secretario de Estado de Justiça, Marcus Rito, (ordem essa informalmente), alegando que não havia critérios para tais recolhimentos. No entanto, foi destacado por Policiais Penais que os critérios usados para recolhimentos são baseados na portaria 002/2015/VEP.

Foi ressaltado no documento Oficial que, somente este ano de 2021 foram realizados cerca de 120 recolhimentos, já no ano de 2020 cerca de 500 recolhimentos, foi explanado por servidores que não há questionamentos por parte da Vara de Execução Penal e Ministério Público.

Por fim, os servidores deixaram essa observação em documento oficial, para resguardar os Policiais Penais que realizam os trabalhos diuturnamente, finalizaram lamentando que os monitorados que foram citados continuariam cometendo violações.

Vulgo “Maquito” também matador de Polícia 

Eduardo C. O, de 25 anos, vulgo “Maquito”, é o acusado de ter matado o tatuador Andeilson Barbosa de 26 anos. Conforme a delegada Leisaloma da delegacia de homicídios, o criminoso é considerado de alta periculosidade e quando era adolescente já teria matado um Policial Penal com um tiro na cabeça, o crime ocorreu no ano de 2013 no bairro caladinho, também na zona Sul de Porto Velho. “Maquito” foi preso nesta sexta-feira (07) por Policiais Civis na Operação Amsterdã.

 

 

Fonte: Rondoniaemqap

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *