Polícia Federal enfrenta núcleo de facção criminosa no Amapá

Os envolvidos responderão por tráfico de drogas e organização criminosa, estando sujeitos a pena de reclusão de até 23 anos.

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira, 10/3, a Operação Concórdia*, que teve apoio Núcleo de Inteligência do Ministério Público do Amapá, GAECO, Força Tática e o Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar do Amapá.

A ação visa reprimir grupo que atua no tráfico de drogas e em outros crimes violentos, seguindo ordens que partem de criminosos que se encontram presos. Os principais alvos são membros de uma facção criminosa que tem suas ações comandadas de dentro do sistema penitenciário.

Cerca de 30 policiais federais e outros 12 policiais militares foram às ruas em Macapá/AP e Santana/AP para cumprir 15 mandados de prisão preventiva e outros cinco mandados de busca e apreensão.

A investigação teve início após o cumprimento de mandado de prisão temporária e de busca realizados pela PF em operações passadas, que levantaram indícios sobre a atuação da organização investigada. Essas ações levaram ao núcleo responsável pelo apoio logístico e pela execução de crimes que visam à manutenção da estrutura organizacional da facção criminosa, com o objetivo de conseguir recursos para manutenção de suas atividades.

Com um dos presos, as equipes localizaram porções de drogas, dinheiro, balança de precisão e outros objetos usados no tráfico. O homem foi preso em flagrante.

Os envolvidos responderão por tráfico de drogas e organização criminosa, estando sujeitos a pena de reclusão de até 23 anos.

Esses criminosos têm a violência como característica e suas ações difundem medo e insegurança. Diante disso, a Polícia Federal atua buscando a pacificação e a ordem, que podem ser sinônimos de Concórdia.

 

Fonte: Comunicação Social da Polícia Federal no Amapá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *