Depen entregará mais insumos e matérias de combate a Covid para o sistema penitenciário

A taxa de letalidade em razão da Covid no sistema prisional é de 0,33%, em relação à população geral que é 2,76%. Tais dados foram obtidos a partir de informações enviadas pelos estados até o dia 27 novembro.

Durante o mês de dezembro, o Departamento Penitenciário Nacional (Depen) entregará o terceiro lote de materiais de proteção individual adquiridos para combate à Covid-19. Serão distribuídos para todo o sistema penitenciário brasileiro mais 10 mil máscaras cirúrgicas descartáveis, mais de 1.2 milhão de gorros descartáveis, 2155 oxímetros. Durante esse período, o Departamento também doou 130.500 testes rápidos para as unidades federativas, além de ter desenvolvido ações conjuntas com outros órgãos como o Ministério da Saúde e instituições como a Fundação Oswaldo Cruz buscando dar apoio ao sistema penitenciário brasileiro no combate à doença.

Com o valor de R$ 49 milhões, o Depen adquiriu também para doação de materiais e insumos mais de 6.7 milhões de máscaras cirúrgicas, mais de 56 mil máscaras N95, 15.378 luvas descartáveis, mais de 786 mil aventais, 264.550 toucas, 77.917 litros de álcool 70%, 7.031 óculos, 2.642 termômetros e quase 31 mil litros de sabonete líquido, além dos testes rápidos de detecção da Covid-19. Todos já foram entregues às unidades federativas.

As medidas adotadas pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio do Departamento, bem como o esforço das Secretarias estaduais de administração penitenciária possibilitam o controle da expansão dos índices dentro do sistema, por isso, o número de casos, comparados com a população geral, são consideravelmente menores. A taxa de letalidade em razão da Covid no sistema prisional é de 0,33%, em relação à população geral que é 2,76%. Tais dados foram obtidos a partir de informações enviadas pelos estados até o dia 27 novembro.

Desde o início da pandemia da Covid-19, o Depen realizou ações conjuntas com instituições e órgãos públicos para produção de cartilhas informativas, compra de equipamentos de proteção individual e realização de reuniões com representantes das unidades federativas responsáveis pela saúde no sistema prisional. Além da distribuição de equipamentos, as atividades permitiram a difusão das orientações sobre os cuidados sanitários desejáveis.

Em agosto, a telemedicina foi iniciada no Sistema Penitenciário Federal, cuja responsabilidade direta é do Depen, os privados de liberdade podem consultar nas especialidades de cardiologia, ortopedia, pneumologia, urologia, dermatologia e psiquiatria, ampliando a cobertura de atendimentos médicos e agregando qualidade, eficiência e agilidade para o melhor tratamento e promoção à saúde no âmbito das penitenciárias federais.

Clique aqui e acesse o painel Medidas de Combate a Covid-19 no sistema penitenciário 

 

Fonte: Serviço de Comunicação Social do Depen

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *