Associações de PMs de Rondônia emitem nota de repúdio contra o governador Marcos Rocha

As duas Associações criticam severamente a atitude do governador de Rondônia, Marcos Rocha.

As Associações ASPRA e ASSFAPOM, ambas instituições que defendem a categoria dos Policiais Militares de Rondônia, veio a público e repudiou as ações tomadas pelo governador do Estado de Rondônia, Coronel Marcos Rocha, também o Secretário de Segurança Pública Cel. Pachá e do Subcomandante Geral do da PMRO Cel. Plínio.

As notas foram publicadas neste domingo (04) e divulgada em suas páginas oficiais do Facebook e sites das referidas instituições.

As instituições criticam severamente a omissão do governo em relação aos assassinatos de dois Policiais Militares por bandidos fortemente armados em uma fazenda no interior de Rondônia.

Entre as críticas, narram que Marcos Rocha tem “medo” que possa ocorrer um confronto e esse governo sair com a imagem negativa perante a sociedade Rondoniense.

As duas Associações disseram que, se for seguir essa posição do subcomandante da PM, a Polícia Militar só poderá atuar somente com uma autorização judicial e ficará totalmente com as mãos atadas para atuar na defesa da ordem pública e a garantia da paz social dos cidadãos Rondonienses.

Confira na íntegra a nota da Associação dos Praças da Policia Militar – ASPRA

NOTA DE REPÚDIO

A Associação dos Praças da Policia Militar – ASPRA, vem a público apresentar sua nota de REPÚDIO e INDIGNAÇÃO sobre a coletiva do Senhor Governador Cel Marcos Rocha, Secretário de Segurança Pública Cel Pachá e do Subcomandante Geral do da PM Cel Plínio.

A ASPRA, Associação Representativa de classe, uma das mais antiga do Estado de Rondônia, vem externar total REPÚDIO da posição que o governador tomou no episódio onde dois valorosos policiais foram covardemente assassinados por bandidos que se escondem atrás de movimento social.

Lembramos aqui Sr. Governador que na Polícia Militar, que Vossa Excelência fez parte um dia, não temos covardes, pelo contrário, temos homens e mulheres honradas, que em seu juramento prometeram pagar com a própria vida para proteger a sociedade.

O que vimos hoje por parte deste Governo, foi um total retrocesso, um despreparo em não adotar medidas mais enérgica contra esses bando de assassinos que ceifaram a vidas desses policiais militares, nossos irmãos de farda e pais de família que são.

Deslocar um contingente de 60 PMs até a área de conflito somente para resgatar os corpos, recuperar armamentos e viatura e se darem por satisfeitos, demostra por parte deste Governo a importância que tem pela tropa.

Traduzindo Sr. Governador, isso é MEDO que possa ocorrer um confronto e esse governo sair com a imagem negativa perante a sociedade Rondoniense.

Se seguirmos essa posição do subcomandante da PM, a Polícia Militar só poderá atuar somente com uma autorização judicial e ficará totalmente com as mãos atadas para atuar na defesa da ordem pública e a garantia da paz social dos cidadãos Rondonienses.

Resta claro a omissão do Estado em não empreitar as diligências necessárias para capturar os responsáveis pelas mortes e assim fazer Justiça.

A INDIGNAÇÃO Sr. Governador está claramente estampada em todos os nossos valorosos irmãos sangue azul.

Os policiais militares não irão ficar sossegados, enquanto não for capturados esses assassinos que ceifaram a vida dos nossos irmãos sangue Azul.

Confira na íntegra a nota da Associação dos Praças e Familiares da Polícia e Bombeiro Militar do Estado de Rondônia – ASSFAPOM

ASSFAPOM se manifesta sobre coletiva do Governador e demais autoridades quanto os assassinatos de militares

Sobre a coletiva do Governador, Secretário de Segurança Pública e o subcomandante Geral do da PM, a Associação gostaria de relatar que a Polícia Militar tem o Poder de Polícia para atuar em qualquer espaço territorial de Rondônia que tenha ocorrido um flagrante delito ou até mesmo quando um crime já aconteceu.

O Subcomandante Geral da PM, Plínio afirmou que a Polícia Militar recuou após conseguir resgatar os corpos, viatura e os armamentos do sargento Rodrigues, morto no combate por esses vagabundos guerrilheiros.

Ficou claro na coletiva que a cúpula do governo está com receio de ir até o local e ter um confronto com esses pilantras e haver um derramamento de sangue e o Estado ficar em uma evidência negativa, perante aos órgãos de defesa dos direitos humanos e defensores desses criminosos.

Se seguirmos essa posição do subcomandante da PM, a Polícia Militar só poderá atuar somente com uma autorização judicial e ficará totalmente com as mãos atadas para atuar na defesa da ordem pública e a garantia da paz social dos cidadãos Rondonienses.
Ao invés de retirar a tropa do local, deveria ser feito um cerco em todas as vias de entrada e saída desses acampamentos onde estão esses guerrilheiros, para vedar a entrada de alimentos, bem como, restringir o acesso ao local de mais pessoas.

Podem ter a certeza, que não iremos ficar calados e sossegados, enquanto não for feito uma ação “real” pelo Estado para prender esses assassinos dos irmãos sangue Azul.

 

Fonte: Rondoniaemqap / Com informações ASSFAPOM e ASPRA

Categorias:Geral e Cotidiano

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s