Projeto inclui servidores ambientais nos quadros da Força Nacional de Segurança Pública

O projeto altera a Lei 11.473/07, que autoriza a União a firmar convênios com os estados e o Distrito Federal no âmbito da segurança pública, mas que atualmente não menciona o meio ambiente.

O Projeto de Lei 4228/20 explicita a defesa do meio ambiente e o combate a queimadas e incêndios entre as atividades-fim da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP). Também permite o uso de servidores dos órgãos de controle ambiental dos estados na FNSP.

O projeto altera a Lei 11.473/07, que autoriza a União a firmar convênios com os estados e o Distrito Federal no âmbito da segurança pública, mas que atualmente não menciona o meio ambiente.

A proposta, do deputado Mário Heringer (PDT-MG), tramita na Câmara dos Deputados. Ele pretende reforçar os quadros da FNSP especializados no combate a queimadas e incêndios florestais.

O parlamentar observa que o combate a queimadas já tem gerado uma grande demanda para os órgãos ambientais estaduais, os bombeiros militares estaduais e também para a FNSP, acionada a pedido dos governadores e autorizada pelo Ministro da Justiça e Segurança Pública.

“O Brasil, com suas dimensões continentais, precisa de uma estrutura nacional permanente de combate ao fogo, capacitada e eficaz, que possa reforçar o trabalho realizado nos estados, sobretudo na Amazônia, no Cerrado e no Pantanal, onde as queimadas têm se mostrado crescentes”, avalia Heringer.

Ele acrescenta que a FNSP, que já conta com bombeiros militares dos estados em seus quadros, poderia se beneficiar com a presença de servidores civis das atividades-fim dos órgãos de proteção ambiental dos entes federados. “A presença de brigadistas civis do Ibama e dos estados tem muito a contribuir com os trabalhos de combate a queimadas e incêndios realizados pela FNSP”, diz.

 

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *