Depen participa de operação para desarticular organização criminosa especializada na ocultação de bens e valores provenientes do tráfico de drogas

A operação foi iniciada pelo envio de informações do DEPEN/MJSP para Polícia Federal de Rondônia, após trabalho de inteligência penitenciária realizado na Penitenciária Federal em Porto Velho.

Na manhã de hoje, a Polícia Federal, em cooperação com o Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN) e a Receita Federal do Brasil, deflagrou a Operação PAVO REAL com o objetivo de desmantelar financeiramente uma organização criminosa dedicada à lavagem e ocultação de bens, direitos e valores obtidos através do tráfico internacional de drogas.

A operação foi iniciada pelo envio de informações do DEPEN/MJSP para Polícia Federal de Rondônia, após trabalho de inteligência penitenciária realizado na Penitenciária Federal em Porto Velho.

A vigilância aproximada, a constante revista de celas, o rigor do Sistema Penitenciário Federal e o trabalho da inteligência penitenciária do Departamento permitiram acesso às informações valiosas repassadas para a Polícia Federal em 2019, os quais revelaram a existência de uma organização criminosa voltada para a ocultação do patrimônio obtido com o tráfico internacional de drogas, composta, em grande parte, pelos familiares do investigado, incluindo a esposa, mãe, padrasto, filhos, genros, irmãos e sobrinhos, todos com prisão decretada, agora, pela Justiça Federal de Porto Velho/RO.

Na ação de hoje, estão sendo cumpridos 21 mandados de prisão (sendo 16 preventivas e 05 temporárias) e 67 mandados de busca e apreensão, nos Estados de Rondônia, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Santa Catarina e Distrito Federal. Os mandados foram expedidos pela 3ª Vara da Justiça Federal em Rondônia, especializada em crimes praticados por organizações criminosas, contra o sistema financeiro e lavagem de dinheiro.

A Justiça Federal determinou o bloqueio de mais de R$ 302 milhões, das contas de 96 investigados, entre pessoas físicas e jurídicas, e a suspensão da atividade comercial de 22 empresas utilizadas, pela organização criminosa, para a movimentação dos valores ilícitos. Também determinou o sequestro específico de 17 veículos de luxo, com valores individuais de mercado superiores a R$ 100 mil cada, que, somados, alcançam um valor aproximado de R$ 2.3 milhões, além do sequestro de todos os veículos em nome/em uso pelos investigados.

Entre os bens estavam cerca de 50 imóveis que, segundo valores atuais de mercado, ultrapassam a quantia de R$ 50 milhões, além de dezenas de outros imóveis, registrados em nome de membros da organização criminosa, cujo valor patrimonial total será apurado após a deflagração.

Sobre a Operação – A Operação PAVO REAL faz referência à alcunha (codinome) do principal investigado na operação, mundialmente conhecido pelo seu envolvimento com o tráfico internacional de drogas e armas.

É MISSÃO INSTITUCIONAL DO DEPEN A GESTÃO E EXECUÇÃO DA INTELIGÊNCIA PENITENCIÁRIA NOS PRESÍDIOS FEDERAIS.

 

Fonte: Serviço de Comunicação Social do Depen

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s