Morre o 2º policial penal vítima de coronavírus no sistema prisional de São Paulo

Incluindo os dois óbitos, chega a um total de 33 o número de servidores penitenciários infectados pelo COVID-19 em São Paulo e outros 37 casos suspeitos de contágio.

O policial penal Moisés Marcos Braga, do Centro de Progressão Provisória (CPP) de Franco da Rocha, que faleceu vítima do novo coronavírus (COVID-19) neste domingo (26), aos 48 anos. A confirmação do COVID-19 foi feita por meio de teste e informada pelo médico à família do servidor na noite do último dia 22.

Braga estava internado e entubado em tratamento na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Estadual Dr. Carlos da Silva Lacaz, de Francisco Morato, mas não resistiu. Trabalhador do sistema penitenciário desde 1991, ele deixa esposa e dois filhos.

A morte do policial penal é a segunda confirmada por coronavírus entre os servidores do sistema prisional de São Paulo. A primeira foi a do policial penal Aparecido Cabrioti, da Penitenciária de Dracena, que morreu aos 64 anos no último dia 3 de abril. Cabrioti havia acabado de retornar de férias, quando passou mal e foi internado em isolamento na Santa Casa do município.

Incluindo os dois óbitos, chega a um total de 33 o número de servidores penitenciários infectados pelo COVID-19 em São Paulo e outros 37 casos suspeitos de contágio, segundo apuração que vem sendo feita pelo SIFUSPESP desde a primeira quinzena de março. Destes, dois foram curados e tiveram alta após o tratamento, sendo uma enfermeira e o policial penal Mauro Scalon, servidor da Penitenciária de Presidente Prudente.

Entre os casos registrados mais recentes apurados pelo sindicato estão cinco servidores do regime fechado da Penitenciária de Presidente Prudente, um na Penitenciária masculina de Tupi Paulista, e dois da Penitenciária de Andradina, onde um policial está internado na Santa Casa do município e outro internado entubado na UTI do hospital de Ribeirão Preto. Na capital paulista, foi confirmado o contágio de um policial penal do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Pinheiros, que está internado no Hospital de Pirituba.

Entre a população carcerária, o mapeamento do Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN) aponta 6 detentos confirmados, 37 casos suspeitos e três óbitos.

Ministério Público do Trabalho instaura inquérito

Diante do cenário grave da pandemia, Ministério Público do Trabalho (MPT) da 15ª Região, de Campinas, abriu inquérito e vai apurar denúncias de falta de proteção e de medidas de segurança adequadas contra o COVID-19 no sistema prisional paulista, bem o descaso da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) perante à pandemia (leia mais).

O SIFUSPESP foi convocado para a primeira audiência virtual do processo, nesta segunda-feira (27), às 14h30, que terá a participação do presidente do sindicato, Fábio César Ferreira, representando a categoria para colaborar ativamente com as investigações.

 

Fonte: Sifuspesp

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s