“Não adianta prender e o Judiciário soltar”, diz Governador do DF

Governador criticou a quantidade de criminosos liberados pela Justiça após detenções e lamentou o assassinato de cadeirante em ônibus do DF.

O governador Ibaneis Rocha (MDB) lamentou, na tarde desta terça-feira (29/10/2019), a morte do cadeirante Marcílio Pereira da Silva Neto, 57 anos, assassinado dentro de um ônibus pela manhã ao reagir a assalto. Na ocasião, o chefe do Executivo local atribuiu ao Poder Judiciário parte dos problemas relacionados à segurança pública.

“Chega de ficar enxugando gelo. Não adianta [a polícia] prender e o Judiciário soltar. A culpa fica sendo do governo. Nós vamos ter que rediscutir esse pacto federativo com os demais Poderes, de modo que a gente possa realmente diminuir a criminalidade”, salientou.

Ibaneis se referia à entrevista do titular da pasta de Segurança Pública, Anderson Torres, ao Metrópoles. O secretário afirmou que as polícias Civil e Militar do Distrito Federal prenderam quase 20 mil suspeitos de crimes em 2019.

Apesar do elevado número de detenções, houve acréscimo de apenas 386 pessoas, entre homens e mulheres, na população carcerária da capital neste ano. Na prática, significa que 98% dos detidos pelas autoridades voltaram às ruas.

“Hoje, vi uma matéria do nosso secretário de Segurança informando que, das prisões ocorridas neste ano, 98% dos detidos retornaram às ruas. Certamente, esse não é o caminho”, ressaltou Ibaneis. “Tem alguma coisa errada. A polícia está trabalhando? Está trabalhando muito, eu posso afirmar”, assinalou.

Segundo o mandatário do DF, o noticiário negativo da violência recai sobre o governo, mas a questão envolve o governo federal e todas as instituições, como Ministério Público e Tribunal de Justiça, por exemplo.

“O bandido está retornando às ruas muito mais rapidamente do que o familiar ou aquele que foi agredido está voltando para a sua residência”, criticou o governador.
Fazenda Esperança
As declarações foram dadas durante lançamento, em cerimônia no Palácio do Buriti, da pedra fundamental da construção da ala masculina da Fazenda Esperança. A unidade terá como objetivo ajudar no acolhimento e recuperação de viciados em crack e outras substâncias ilícitas.

A instituição é uma referência no combate às drogas no país. Atualmente, a parte feminina está em funcionamento no Distrito Federal.

Segundo o presidente da Agência de Desenvolvimento do DF (Terracap), Gilberto Occhi, o terreno será doado à Secretaria de Justiça e Cidadania para a construção da fazenda.

Ibaneis Rocha diz que a sociedade precisa se mobilizar no combate aos entorpecentes e enfatizou ser contra a legalização de drogas. “Se nós legalizarmos, vamos criar exércitos de zumbis e milionários. Não é só Brasília que não está preparada. O mundo não está”, afirmou.

 

 

 

Fonte: Metropoles

 

Anúncios

Categorias:Segurança Pública

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s