Com visitas limitadas, membros do PCC e do CV se unem e pedem “intervenção militar” no presídio de Vilhena

De acordo com a informante, as visitas no complexo penal foram reduzidas e os apenados não têm mais direito ao banho de sol.

Em áudio enviado ao FOLHA DO SUL ON LINE na manhã desta quinta-feira, 22, a mulher de um detento que cumpre pena no presídio Cone Sul, em Vilhena, revelou uma situação inusitada: membros das duas facções criminosas que vivem se atacando dentro da unidade se uniram por um objetivo comum.

De acordo com a informante, as visitas no complexo penal foram reduzidas e os apenados não têm mais direito ao banho de sol. As visitas íntimas também não são autorizadas há duas semanas. “Mas é só aqui, nos outros presídios do Estado as visitas acontecem normalmente”.

Alertando para uma possível rebelião no estabelecimento, a mulher disse que, para tentar resolver o problema, os membros do Primeiro Comando da Capital (PCC) e do Comando Vermelho (CV), teriam assinado uma carta conjunta às autoridades de segurança cobrando providências.

E, também segundo a entrevistada, a revolta dos presos chegou a tal ponto que ambos os grupos criminosos estão se unindo em torno de outro objetivo comum: pedir a volta da “intervenção militar” no presídio.

O argumento é que, com o movimento grevista deflagrado pelos agentes penitenciários, várias atividades que envolvem os presos vêm sendo prejudicadas, em virtude do número menor de funcionários.

 

Fonte: Folha do Sul

Anúncios

Categorias:Sistema Prisional

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s