Sejus tenta coagir servidores que são testemunhas em ação civil pública

O sindicato pediu providencias, considerando que as testemunhas arroladas não podem ser prejudicadas em sua vida funcional pelo fato de prestarem depoimento em ação judicial.

O SINGEPERON atento aos atos promovidos pela Secretaria de Justiça – SEJUS e pelo Estado, na data 06/05/2019, levou ao conhecimento do Ministério Público de Ariquemes a coação velada aos agentes penitenciários que foram arrolados como testemunhas na Ação Civil Pública proposta contra o Estado de n. 7014984-79.2017.8.2.0002 e pediu providências.

Conforme Ofício n. 599/2019/PGE-PC a procuradoria solicitou a SEJUS informações das testemunhas, tanto quanto a existência de PADs, o seu objeto e o andamento, e ainda, se as testemunhas participaram da greve ou da operação padrão, porém, a pesquisa não tem qualquer vínculo com o objeto da Ação Civil Pública, motivo pelo qual, estranha o motivo de dita investigação.

O sindicato pediu providencias, considerando que as testemunhas arroladas não podem ser prejudicadas em sua vida funcional pelo fato de prestarem depoimento em ação judicial, e, desta forma, acompanhará, não somente a ACP, como, o desenrolar em relação as testemunhas, com vistas a proteção dos interesses individuais e coletivos da categoria.

 

 

 

Fonte: Assessoria – Singeperon

Anúncios

Categorias:Sistema Prisional

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s