Boabaid e juiz visitaram presídios e verificaram de perto as condições em que PMs trabalham

O deputado Jesuíno Boabaid (PMN) realizou vistorias em presídios juntamente com o juiz de Direito Edenir Sebastião Albuquerque da Rosa, após a Associação dos Praças e Familiares da Polícia e Bombeiro Militar do Estado de Rondônia (Assfapom) ter entrado com Ação Civil Pública. Ambos foram até algumas unidades prisionais e verificaram de perto as reais condições em que os militares trabalham.
No ano de 2006, a Companhia de Guarda da PM protocolou pedido junto à Vigilância Sanitária, solicitando inspeção em vários presídios da Capital. O pedido aconteceu devido à precariedade nas unidades prisionais, que segundo deputado coloca em risco a vida dos militares que ali trabalham.

“É importante salientar que o lixo produzido pela população carcerária não tem um destino adequado, ficando ao ar livre e atraindo assim a presença de ratos e urubus”, ressaltou o deputado.

O deputado constatou diversos problemas enfrentados pelos militares, dentre eles a falta de corrimão nas escadas que dão acesso às guaritas, passarelas com pisos irregulares, guaritas sem mínimas condições de higiene, sem conforto e até mesmo água potável e iluminação insuficiente com instalação elétrica precária, inclusive com fios expostos.

“Infelizmente nos dias atuais a situação dos presídios não é diferente de quando houve a denúncia”, frisou Jesuíno.
De acordo com o engenheiro Domingos Sávio, do Departamento de Obras e Serviços Públicos (Deosp), será elaborado e encaminhado ao deputado Jesuíno Boabaid um projeto solicitando equipamentos para abastecer as guaritas onde os policiais militares trabalham.

“É um custo muito alto”, disse Sávio, que relatou, ainda, que boa parte da mobília que será utilizada no novo alojamento dos militares será adquirida através de emenda do parlamentar.

O deputado ressaltou a necessidade de comprar vidros à prova de balas para serem colocados nas guaritas, tendo em vista os abrigos serem baixos e bem próximo às ruas, o que facilitaria um policial ser baleado por algum criminoso.

“O custo para este investimento é bastante alto, chegando ao valor de R$ 4 mil para vidros que suportam tiros de pistola calibre .40 e R$ 11 mil para vidros que seguram tiros de fuzil”, informou Boabaid. Jesuíno afirmou que aguardará o Deosp encaminhar novos projetos para que o trabalho dos policiais militares que atuam nas guaritas seja melhorado.

Fonte: ALE/RO – DECOM 

Fotos: Assessoria

Anúncios

Categorias:Sistema Prisional

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s