“O secretário adjunto da SEJUS é um mentiroso”afirma Léo Moraes

Porto velho, 20 de outubro de 2015 às 20:30 hs.

image

Na manhã desta terça-feira, em audiência na Comissão de Justiça da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Léo Moraes chamou de mentiroso, por três vezes, e em alto e bom som para que todos os presentes ouvissem, o secretário-adjunto da SEJUS, Marcos Amaral. Ele (Marcos) afirmou que o secretário titular Marcos Rocha estava no presídio Urso Branco no momento da rebelião. O adjunto só esqueceu que o deputado, esse sim, estava no local, das 6 da manhã às 19 horas, e por lá, segundo Moraes, apareceu todo mundo, menos o secretário titular.

Vai ver

Ele estava ocupado pensando em um substituto para o diretor do presídio, Célio Lima, que foi exonerado “a pedido” dos presos rebelados. Nada contra os apenados, eles estão no direito deles de fazer rebelião, como também o Estado tem todo o direito de atender ou não as exigências. Ao “amarelar” para os amotinados, o governo deu luz verde para que os detentos resolvam qualquer situação na base da rebelião a partir de agora. Nenhum estado, até hoje, aceitou esse tipo de imposição. O governador deveria exonerar, imediatamente os secretários titular e adjunto da SEJUS. Eles não servem para essa função.

Conta errada

E a SEJUS divulgou nesta terça-feira que os prejuízos causados pela rebelião devem ser superiores a R$ 120 mil. Com toda certeza serão. O presídio foi todo destruído internamente. Celas foram interligadas através de buracos nas paredes, rede elétrica e hidráulica foram afetadas, enfim, a conversa vai sair cara. E o pior, a conta é só nossa.

Não é um país sério…

A rebelião no Urso Branco teve início porque o diretor (agora ex) decidiu recolher os celulares das celas, instalou um raio-x na entrada dos visitantes e vinha intensificando o combate ao tráfico na unidade. Os familiares, ao perderem contato via telefone, começaram a confusão e resolveram se voluntariar como “reféns”…e a vida segue…

Já Léo Moraes

Vem acompanhando de perto a situação no sistema prisional e vê com preocupação e com razão a forma como a coisa vem sendo conduzida. O deputado promete endurecer o discurso e marcar cerrado as decisões do governo sobre o sistema penitenciário. Léo explicou que não se trata de “defender vagabundo” e sim de fazer cumprir a lei e dar numa satisfação à sociedade, não podemos é permitir barbáries, seja de qual lado for declarou o deputado.

FONTE: painelpolitico.com

Anúncios

Categorias:Sistema Prisional

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s